FC Porto vs Sporting CP - 11 inicial

Vítor Pereira não tem dúvidas: o FC Porto revelou "mérito" na conquista do campeonato e estende os elogios a todos os elementos do clube, incluindo a massa associativa. E apesar de o título já estar assegurado, o treinador promete uma equipa de qualidade frente ao Sporting: "Queremos mostrar a nossa competência".

O técnico fez a antevisão do clássico esta quinta-feira, no Olival, onde deixou garantias de um FC Porto "motivado".

A partida realiza-se este sábado, às 20h30, no Estádio do Dragão.

Objectivo claro de vencer
"Temos o objectivo claro de vencer este encontro e o próximo e, por isso, esta semana treinámos de forma normal: para ganhar e somar mais três pontos.

Acredito num jogo de qualidade, com duas equipas de qualidade, e espero estarmos ao nosso nível."

Mérito partilhado por todos
"Não vejo sentido no que se vai dizendo nem me sinto injustiçado, mas deixo as análises ao critério de todos vós. Sei o que quero e os passos que tenho de dar para o alcançar. Sinto um orgulho enorme em representar o meu clube. Fui campeão no meu primeiro ano e estou contente por termos proporcionado esta alegria. O mérito deve ser partilhado por todos: jogadores, administração, presidente, staff e massa associativa. Aliás, aproveito também para enviar um grande abraço à minha equipa técnica, que foi excepcional.

Não tenho de me pronunciar sobre os outros clubes. O que sei é que no FC Porto assumimos as nossas responsabilidades, mesmo quando as coisas não correm bem. Analisámos tudo o que aconteceu e é assim que estamos habituados a ganhar.

O futebol não se trata de um duelo de treinadores, mas sim de uma prova de regularidade. O FC Porto renovou o título a duas jornadas do fim, com o melhor ataque e a melhor defesa, e isto é que é importante. O nosso mérito é que conta."

Mostrar competência
"Independentemente de já termos assegurado o nosso objectivo, garanto que este jogo é importante para nós. Queremos ganhar pela nossa massa associativa e mostrar a nossa competência.

Espero um Sporting motivado, pela campanha que fez na UEFA Europa League, e forte, mas acredito que faremos um bom jogo."

CS Marítimo vs FC Porto - 11 inicial

O FC Porto desloca-se à Madeira, este fim-de-semana, para jogar a 28.ª jornada do campeonato nacional. Os Dragões defrontam o Marítimo (sábado, 20h15) numa partida que pode ser decisiva para as contas do título. Em conferência de imprensa, Vítor Pereira ressalva que a vitória é fundamental mas reconhece valor na equipa adversária.

Como perspectiva esta deslocação à Madeira?
O Marítimo, pela época que está a fazer, tem provado que é uma equipa consistente e muito forte. Em casa, torna-se um adversário ainda mais difícil mas temos competência mais do que suficiente para trazer os três pontos.

O Marítimo vem de duas derrotas. Isso vai ter algum peso na prestação da equipa?
Julgo que não. As jornadas passadas não têm qualquer tipo de peso, nem para uma nem para outra equipa. O Marítimo, ao longo do campeonato, tem provado ser uma equipa regular com princípios bem definidos. Numa fase decisiva da época, sabemos bem o que queremos. Vamos encontrar dificuldades mas sei que as vamos ultrapassar.

Por ser uma fase tão decisiva, é importante gerir a ansiedade?
Estes jogadores estão habituados a viver grandes momentos. Basta remeter à época transacta para relembrar que lidam bem com a pressão.

Vencer na Madeira significa garantir o campeonato?
Vencer na Madeira significa ganhar mais três pontos, fundamentais para nós que queremos vencer o título. Não estou à espera de decisões de campeonato. Ele vai ser discutido até ao fim e é nisso que acredito.

Apesar de estar perto de conquistar o título, esta época, não tem sido um treinador unânime.
Não me cabe a mim falar sobre isso. Faço o meu trabalho, quero sempre um jogo de qualidade e um futebol de ataque. Procuro que a equipa apresente esse futebol mas, neste momento, não estou preocupado com o meu projecto individual. Estou focado no meu clube e quero que a minha equipa ganhe o campeonato. É essa a minha preocupação.

Conta continuar na próxima época?
Estou e estarei sempre com um gosto enorme neste grande clube.

O problema com o Álvaro Pereira já está ultrapassado?
Quando me colocam questões do ponto de vista individual, eu fujo delas. O futebol é um desporto colectivo e eu falo pela equipa. Neste momento, estamos focados em ganhar o campeonato e é no grupo que está a minha preocupação.

Acredita que é possível festejar o título já no próximo domingo?
Espero que sejamos competentes para ganhar os três pontos. Neste momento, só dependemos de nós para assegurar o primeiro lugar.

Espera um ambiente hostil no jogo deste sábado?
A equipa está habituada a ambientes hostis e a jogar em estádios cheios com muitos adeptos adversários. Mas o efeito é o contrário do pretendido: os jogadores ainda se sentem mais motivados nesses cenários.

SC Braga vs FC Porto - 11 inicial

 
O FC Porto desloca-se este sábado (20h30) ao terreno do terceiro classificado, o Sporting de Braga, em encontro da 26.ª jornada da Liga. Em conferência de imprensa, Vítor Pereira sublinha a necessidade de vencer a partida com outro dos candidatos ao título, mas prevê "um jogo competitivo". Os Dragões lideram a tabela classificativa e os três pontos são "fundamentais nesta altura decisiva da época". 

Há uma teoria criada em relação ao FC Porto: muita gente diz que é uma equipa de grandes jogos. No sábado, o contexto vai ser este? 
Aquilo que diz a classificação é que o FC Porto está em primeiro lugar e isso mostra que tem sido a equipa mais regular. É a equipa que, ao longo destas jornadas, conseguiu arrecadar mais pontos. Do meu ponto de vista é a equipa mais preparada, tanto para os jogos ditos pequenos como para os grandes. 

O que espera da sua equipa para este jogo? 
Ter conversas com os jogadores antes do treino a pedir exigência é naturalíssimo. Temos que nos focar no objectivo fundamental que é a conquista do campeonato. Quanto ao SC Braga, sabemos que é uma equipa com mérito e que também está a lutar pelo título. Sabemos como se organiza, quais são os seus pontos fortes e os que podemos explorar. Esperamos um jogo competitivo entre duas boas equipas e que o FC Porto esteja no seu melhor nível para trazer os três pontos de Braga. 

Acredita que quem sair em primeiro desta jornada vai ser o campeão ou considera que os clubes da frente ainda podem perder pontos? 
Este jogo vale pelos três pontos em disputa, que são fundamentais nesta altura decisiva da época. Faltam poucas jornadas para o fim do campeonato mas não acredito que se possam fazer contas aos resultados dos outros. Só podemos controlar a nossa equipa e o nosso desempenho. O que as outras equipas fazem está fora do nosso controlo. 

Foi noticiado esta semana, em "A Bola", que poderia deixar o FC Porto e, ainda hoje, no Correio da Manhã, Leonardo Jardim foi apontado como possível treinador da equipa azul e branca. Que comentários tem a fazer? 
Já estamos precavidos para esse tipo de notícias. Estranharia que não surgisse nada no sentido de nos destabilizar. Estamos em primeiro e durante muitos anos temos ganho muitos títulos. Isso incomoda e preocupa muita gente. Não sei quais são essas fontes mas só me preocuparia se a instabilidade fosse criada de dentro para fora. O que lamento são aquelas pessoas que desrespeitam a sua profissão e se colocam ao serviço de terceiros. 

Houve quem dissesse que o Lucho jogou mais atrasado no campo no último jogo frente ao Olhanense. Concorda? 
O que eu peço aos meus jogadores do meio-campo é que joguem em linhas diferentes, de forma a manterem o equilíbrio defensivo. Peço-lhe para baixar quando acho que tem que baixar, mas um jogador com a sua qualidade percebe quando tem que o fazer. A dinâmica dos outros dois dá-se em função do que está a acontecer naquele momento. Quem vê o futebol em papel quadriculado tem mais dificuldades em analisar as coisas assim. Eu vejo o futebol com uma dinâmica própria, dependendo das características dos jogadores que estão disponíveis no momento. 

Que razões estiveram na base da sua decisão de retirar o Rolando da equipa no jogo contra o Olhanense? 
Nunca particularizei as minhas opções e não vou fazê-lo agora. Escolho a equipa que melhor responde aos desafios que temos de ultrapassar. O Rolando tem sido um excelente profissional e esta não foi nenhuma medida penalizadora, muito menos por aquilo que os outros dizem. Aproveito para deixar uma mensagem para o público: este é o momento de colocar o clube acima de tudo e de todos, inclusivamente do seu próprio treinador. É hora de nos unirmos. A instabilidade vinda de fora não nos atinge porque estamos precavidos e atentos. 

O Fernando já está em condições para jogar em Braga? 
Espero que esteja recuperado mas, se não estiver, jogaremos com outros jogadores e numa dinâmica diferente. 

As saídas de Souza, Belluschi e Guarín não foram um risco? 
Os jogadores que saíram eram de qualidade. Queriam jogar mais e precisavam de um estímulo diferente. Este plantel, neste momento particular da época, dá-me garantias suficientes de qualidade para disputar os jogos que faltam e para conquistar o campeonato.

31º no Facebook


Os 838 milhões de utilizadores do Facebook (em 02.04.12), representam hoje quase 40% do número total de utilizadores de internet no planeta. Os 100 clubes que fazem parte do “Futebol Facebook Ranking” reúnem a preferência de mais de 189 milhões de utilizadores, ou seja, cerca de 8.3% da população mundial com acesso à internet (2.267 milhões em Dezembro de 2011) e cerca de 23% do total de utilizadores do Facebook.

Os 100 clubes presentes no actual ranking estão repartidos por 33 países, sendo que Brasil, Inglaterra e Alemanha, são os países com maior número de clubes no ranking (10 clubes cada). Dos mais de 189 milhões de fãs que representam os 100 clubes do ranking, 56 milhões têm origem em clubes Ingleses, 55 milhões em clubes Espanhóis (graças quase exclusivamente a Barcelona e Real Madrid) e cerca de 16 milhões têm origem em clubes Turcos.

Em termos continentais, cerca de 84% dos 189 milhões de adeptos presentes no ranking são de clubes Europeus, contra 12% do continente Americano (Sul, Centro e Norte), sendo que os restantes 4% dividem-se em clubes Asiáticos, Africanos e da Oceânia. Naturalmente estes números estão directamente relacionados com o número de acessos à internet, disponíveis em cada um destes continentes.

O Futebol Clube do Porto ocupa a 31ª posição neste ranking.

FUTEBOL FINANCE – FUTEBOL FACEBOOK RANKING 04.2012

Pos Clube País Nº Fãs Pos Clube País Nº Fãs
1 FC Barcelona Espanha +28.811.000 51 Persija Jakarta Indonésia +398.000
2 Real Madrid CF Espanha +26.230.000 52 Werder Bremen Alemanha +376.000
3 Manchester United FC Inglaterra +23.729.000 53 Zamalek Egipto +375.000
4 Arsenal FC Inglaterra +9.602.000 54 LA Galaxy USA +363.000
5 AC Milan Itália +9.324.000 55 Sporting CP Portugal +353.000
6 Chelsea FC Inglaterra +9.307.000 56 Pumas UNAM México +332.000
7 Liverpool FC Inglaterra +8.869.000 57 Hamburger SV Alemanha +327.000
8 Galatasaray SK Turquia +6.683.000 58 Kaiser Chiefs África do Sul +326.000
9 Fenerbahce SK Turquia +5.495.000 59 Zenith St. Petersburgo Rússia +320.000
10 Juventus FC Itália +3.414.000 60 Bursaspor Turquia +318.000
11 FC Bayern Munchen Alemanha +3.396.000 61 Málaga CF Espanha +312.000
12 CA Boca Juniors Argentina +3.327.000 62 Panathinaikos Grécia +303.000
13 Besiktas Turquia +3.223.000 63 Fluminense Brasil +295.000
14 Manchester City FC Inglaterra +2.292.000 64 Spartak Moscovo Rússia +291.000
15 SC Corinthians Brasil +2.087.000 65 1.FC Koln Alemanha +285.000
16 Persib Bandung Indonésia +2.049.000 66 St.Pauli Alemanha +269.000
17 CR Flamengo Brasil +2.044.000 67 Girondins Bordeaux França +267.000
18 Olympique Marseille França +1.760.000 68 Olympiakos Grécia +263.000
19 Chivas México +1.684.000 69 Botafogo Brasil +255.000
20 Internazionale Itália +1.440.000 70 West Ham United FC Inglaterra +254.000
21 CA River Plate Argentina +1.379.000 71 Seattle Sounders FC USA +248.000
22 Al Ahly Egipto +1.368.000 72 VfB Stuttgart Alemanha +248.000
23 São Paulo FC Brasil +1.160.000 73 Newscastle United FC Inglaterra +247.000
24 Tottenham Hotspurs FC Inglaterra +1.152.000 74 Rangers FC Escócia +242.000
25 Universidad de Chile Chile +1.152.000 75 Penarol Uruguai +239.000
26 BV Borussia Dortmund Alemanha +1.095.000 76 Atletico Madrid Espanha +225.000
27 SL Benfica Portugal +1.078.000 77 Emelec Equador +222.000
28 Paris Saint-Germain França +1.039.000 78 Everton FC Inglaterra +221.000
29 América México +1.004.000 79 Ankaragucu Turquia +212.000
30 AS Roma Itália +977.000 80 Atlético Barranquilla Colombia +210.000
31 FC Porto Portugal +841.000 81 Club Olimpia Honduras +203.000
32 Cruz Azul México +822.000 82 Persebaya Indonésia +203.000
33 SE Palmeiras Brasil +775.000 83 Valencia CF Espanha +198.000
34 Colo Colo Chile +698.000 84 Partizan Sérvia +195.000
35 Vasco da Gama Brasil +668.000 85 Levski Sofia Búlgaria +190.000
36 Santos FC Brasil +657.000 86 Eskisehirspor Turquia +188.000
37 SSC Napoli Itália +655.000 87 Lech Poznan Polónia +188.000
38 Sriwijaya FC Indonésia +640.000 88 CD Saprissa Costa Rica +188.000
39 Atletico Nacional Colombia +603.000 89 Eintracht Frankfurt Alemanha +179.000
40 Club Alianza Lima Peru +601.000 90 Deportivo Cali Colombia +174.000
41 Club Universitário Peru +587.000 91 RSC Anderlecht Bélgica +169.000
42 FC Schalke04 Alemanha +500.000 92 Samsunspor Turquia +164.000
43 Cruzeiro Brasil +476.000 93 Celtic FC Escócia +159.000
44 Aston Villa FC Inglaterra +471.000 94 LOSC Lille França +156.000
45 Estrela Vermelha Sérvia +467.000 95 Independiente Santa Fé Colombia +154.000
46 Ajax Holanda +458.000 96 Hannover 96 Alemanha +153.000
47 Olympique Lyonnais França +451.000 97 Legia Warszawa Polónia +153.000
48 Millionários Colombia +416.000 98 Al Hilal A.Saudita +152.000
49 Grêmio Brasil +407.000 99 Nacional Montevideo Uruguai +148.000
50 Trabzonspor Turquia +399.000 100 Steaua Bucareste Roménia +140.000

A voz do dono

Há jornais e jornalistas para quem a verdade pouco interessa quando se sobrepõem outros interesses, designadamente o servilismo. O jornal "A Bola" desta terça-feira é o exemplo perfeito disso mesmo, com a manchete falsa e mentirosa de que o treinador Vítor Pereira deixará as suas funções no final da época, qualquer que seja o desfecho do campeonato. 

O FC Porto já nem se dá ao trabalho de desmentir as mentiras diárias de "A Bola", mas mais uma vez o jornal passou os limites do tolerável. O mais básico manual de jornalismo diz-nos que qualquer notícia deve indicar a fonte, para o leitor avaliar da credibilidade da mesma. Qual é a fonte do jornal "A Bola" na pseudonotícia? Nenhuma, claro. Nem podia haver, tratando-se de uma mentira. E um jornal sério não deveria efectuar um contacto com o FC Porto, que não fez, perguntando se a notícia tinha alguma veracidade? Se fosse com outro clube, alguém acredita que a notícia fosse escrita sem o contraditório? 

Extraordinário que continue a haver jornalistas mentirosos e sem carácter dispostos a servir interesses que nada têm a ver com a verdade e o rigor. 

E para não ficarmos pelas meias palavras, a quem interessa esta notícia e quem pretende beneficiar dela? Muito simples, ao Benfica, clube que o jornal "A Bola" desde sempre protege e que, agora, em desespero, se serve do aliado de sempre para tentar desestabilizar o FC Porto na recta final do campeonato. Infelizes mentes que assim pensam, porque o FC Porto mais uma vez responderá onde mais gosta de não deixar dúvidas, no campo. 

 PS: Uma de borla, também é falso que o jogador Michu Pérez interesse ao FC Porto, mas mentiras dessas são diárias em "A Bola"... 
IN: Site oficial FC Porto

FC Porto vs Olhanense - 11 inicial

O FC Porto recebe o Olhanense este sábado às 19h00, em jogo da 25.ª jornada da Liga. Em conferência de imprensa, Vítor Pereira sublinha a competitividade do campeonato mas coloca as atenções no jogo deste fim-de-semana e garante que a equipa vai jogar para conquistar os três pontos.

Faltam seis jogos para a final do campeonato. Tem a noção que precisa de uma melhor equipa para conseguir alcançar seis vitórias?
Tenho noção que o campeonato esta competitivo e é preciso elevar a prestação em cada jogo. Mas neste momento estamos focados no Olhanense. É uma equipa bem organizada, agressiva, com transições rápidas e qualidade técnica. É neste adversário que temos de nos concentrar.

Quando o Benfica estava a frente do campeonato disse que não gostava de outra equipa no primeiro lugar. Mantém o mesmo sentimento perante o Braga?
Não há treinador nenhum no mundo que goste de ver outra equipa à sua frente. A resposta a essa pergunta é óbvia.

A que atribui a irregularidade que o FC Porto tem apresentado nesta época?
Os números traduzem uma diferença de um ponto para o primeiro classificado e estamos totalmente dependente de nós próprios para voltar para voltar à liderança.

O jogo entre o Benfica e o Olhanense serviu para preparar este encontro?
Quando preparamos um jogo, observamos os adversários. Vimos que o Olhanense colocou bastantes dificuldades. É uma equipa compacta e agressiva que explora a velocidade dos jogadores e queremos controlá-la. Com maiores ou menores dificuldades vamos vencer.

Há algum resultado que lhe de mais jeito no Benfica-Braga?
Vou ficar satisfeito com a nossa vitória. É o jogo com o Olhanense que queremos controlar e não o de qualquer outro adversário.

Haver um jogo entre o Benfica e o Braga torna o encontro com o Olhanense mais importante?
Estamos conscientes que este campeonato é extremamente competitivo. A equipa que conseguir ser mais consistente será a que terá mais possibilidades de vencer. O jogo deste sábado é tão importante como outros.

Tem tido uma postura serena em relação à arbitragem. Pensa que se pode arrepender no final da época?
Antes de qualquer jogo, nunca coloquei em causa qualquer arbitragem. Nos finais dos encontros, quando acho que tenho de comentar um ou outro lance, faço-o mas nunca me ouviram colocar em causa a seriedade de seja quem for.

O Lucho tem jogado como 10. A que se deve isso?
Ele tem feito boas exibições. O nosso triângulo é dinâmico e por isso pretendo que ele baixe no terreno para ir buscar jogo. O importante é manter dinâmica e atingir o jogo ofensivo.

O Fernando começou o jogo em Paços de Ferreira no banco. Isso deve-se ao princípio da chiclete?
O Fernando veio de uma paragem e quando isso acontece, os jogadores não se encontram com o ritmo desejado. Ele é o único jogador com as características de número 6 mas veio de uma lesão e precisa de ritmo.

Considera que a crítica é mais exigente com o FC Porto do que com as outras equipas?
Acho que não. Temos de saber viver com a crítica. No final, faremos o balanço da época e avaliaremos a equipa que ganhou o título. Somos a equipa com menos golos sofridos no campeonato e isso não é noticiado. Como treinador, tenho que avaliar o desemprenho da minha equipa.
IN: Site oficial FC Porto

Quem vai ser campeão nacional?


Simulador de resultados das 6 jornadas que faltam para o campeonato terminar, com os resultados do FC Porto, sl benfica e SC Braga. Retirado do site do Jornal de Negócios.

Aos jogadores do Porto

Publicada por C. Texto Original
 
Desisto. Já não há desculpas ou explicações rocambolescas que justifiquem isto. Não percebo, não consigo nem quero perceber, como é que vocês não querem ser campeões. Eu quero, muito mesmo, e claro que sei que ainda está perfeitamente ao nosso alcance, mas estou cansada de puxar por vocês e de ter tão pouco em troca.

Já todos sabemos que a época foi mal planeada. Ficámos sem treinador de repente, perdemos um grande avançado e alguém achou que o Kléber era jogador para o FCPorto. Se me esforçar muito, até consigo compreender a frustração de alguns de vós, mais interessados noutros voos, que nem sempre se traduzem em mais conquistas, mas certamente numa carteira mais recheada.

Também tenho consciência que o treinador não é grande coisa, que não tem garra, que parece estar sempre disposto a dar a outra face para levar ainda com mais força, e que não vos faz sentir os melhores do mundo. Sei ainda que não deve ser fácil a uma equipa que ganhou tudo manter-se motivada, ainda por cima quando os próprios adeptos, no nosso estádio, se portam como atrasados mentais de primeira.

Eu sei isso tudo, juro. Foi por isso que passei a época toda a defender-vos, a acreditar em vocês, a tentar encontrar respostas para a vossa mais do que evidente incompetência. Vocês perderam a Supertaça Europeia, mas, porra, era o Barça. Vocês levaram 3 da académica para a Taça de Portugal e eu desculpei-vos a vergonha. Vocês foram eliminados da Liga dos Campeões e eu fiz notar que a Liga Europa estava mais ao nosso jeito. Vocês foram eliminados da Liga Europa e eu ainda engoli isso, porque o city me parecia uma equipa incrível, com estrelas do outro mundo, até que vi a porcaria dos lagartos a ultrapassá-los descontraidamente. Vocês perderam pontos com feirenses, olhaneses, gil vicentes e académicas, mas eu não deixei passar os claros erros de arbitragem que não vos deixaram ganhar. Vocês não ganharam em alvalade e ao benfica em casa, mas deram-me uma grande alegria na luz.

Portanto, eu não merecia isto que vocês me fizeram em paços de ferreira. Eu não merecia que pedissem a minha força, a força que já me falta, para depois fazerem aquela figura. Sabem porquê?

Porque vocês dizem e escrevem por aí que Somos Porto, mas vocês não são do Porto como eu. Podem ser durante uns tempos, dar-nos muitas alegrias e viver isto mais ou menos como os verdadeiros. Mas eu sou do Porto desde sempre e para sempre. Sou eu que estou lá nos grandes momentos a festejar ao vosso lado e sou eu que tenho de aturar os amigos de outros clubes no dia seguinte quando vocês se portam mal. Eu estive em Sevilha, em Gelsenkirchen e em Dublin, mas também estive no temporal de Bratislava, na goleada de Manchester ou a sofrer golos do Pauleta em Paris.

Para vocês, o Porto é passageiro. Festejam aqui umas coisas, ganham fama e dinheiro e dão o salto para outro lado. É tão fácil, não é? Falamos de um clube que vendeu o Cissohko por 15 milhões, portanto, onde tudo é possível. Aqui até o Maniche foi uma estrela, o Marco Ferreira foi campeão e o Pena melhor marcador de um campeonato. Aqui os meninos são todos apaparicados, há uma estrutura que vos faz as vontades todas e onde até a besta do Cristian Rodriguez pode ter tudo o que quer.

Vocês acham que estão a fazer um grande favor ao Porto? Acham-se tão bons que a qualquer momento estão no real madrid ou no chelsea? Vivem à sombra da época que nos deram o ano passado? Mas já pensaram bem no que vocês eram sem o Porto? Moutinho, tu estavas em quinto lugar. Rolando, tu estavas na segunda. Hulk, tu estavas a matar japoneses com remates para a bancada. Daqui a uns anos, vocês vão perceber que o Porto não foi só mais um clube por onde passaram. Nessa altura, provavelmente a maioria de vós vai recordar o Porto como o único clube onde ganharam algo. Um dia, vão contar aos vossos netos como foi dar 5 ao benfica e ser campeão na luz. Vão ter muito orgulho no que fizeram, mas também irão arrepender-se de não ter corrido um bocadinho mais na Mata Real.

Se não formos campeões este ano, a culpa é vossa. São vocês que não querem, está visto. E para o ano alguns de vós vão às vossas vidas, enquanto outros ficam e esperam por um novo treinador e um plantel mais equilibrado. O futebol é assim, está sempre a mudar e não é possível ganhar sempre.

O problema, para mim, é que eu vou continuar a ser do Porto, aconteça o que acontecer. Não posso pegar nas minhas coisas e ir para outro clube ganhar mais. Não posso fazer fita para ter um novo treinador. Não posso entrar em campo sem motivação, sem querer, sem vontade. Eu não ganho nada com isto. Não sou rica como vocês, não tenho as vossas casas e os vossos carros, e quando vou ver o Porto não vou no vosso autocarro ou avião super confortáveis. A única coisa que eu tenho é este amor, esta paixão cega pelo meu clube, que me faz pedir-vos uma última vez: ganhem os jogos que faltam. Sejam campeões. Se não for pelo treinador, pelo clube, pelo dinheiro ou pela fama, façam-no pelo menos por mim.

Paços de Ferreira vs FC Porto - 11 inicial

 
Faltam sete jornadas para terminar o campeonato, pelo que a margem para errar é estreita. Vítor Pereira está consciente desse facto, mas sabe que o Paços de Ferreira (domingo, 20h15, 24.ª jornada da Liga) não vai facilitar a tarefa azul e branca. Em conferência de imprensa, o treinador destacou o “futebol rápido e agressivo” do adversário, especialmente na Mata Real. Fernando ainda está em dúvida.

Faltam sete jogos oficiais para o FC Porto acabar a época. Vê algum benefício em só jogar no campeonato?
As questões motivacionais superam as outras. Não vejo qualquer benefício.

Que tipo de jogo e de adversário espera na Mata Real?
O campo do Paços de Ferreira é pequeno e tem características muito próprias. A equipa joga um futebol rápido e agressivo, com transições aceleradas. É um adversário complicado mas queremos ultrapassar as dificuldades e estar ao melhor nível.

O que aconteceu entre Cristian Rodríguez e João Moutinho?
O Cristian está dispensado dos treinos para tratar de assuntos relacionados com o futuro dele. Tem a permissão do clube e do treinador. O desentendimento com o Moutinho é especulação vossa.

Quer comentar as declarações de Jorge Jesus sobre os bloqueios? Tem algum receio de que o árbitro seja influenciado pelas palavras do treinador do Benfica?
Eu não pretendo influenciar ninguém. Inicialmente os bloqueios eram disfarçados. Neste momento, e como estas faltas têm passado em claro, estão cada vez mais refinados. Agora, conseguem construir bloqueios e fazer barreiras a vários jogadores. Apenas constato que, observando as imagens, há um padrão claro. Se as coisas continuarem assim, o Benfica vai continuar a fazer golos de bola parada.

As suas palavras no final do jogo com o Benfica eram de alerta ou de pressão?
Ao ver o segundo golo do Benfica em câmara lenta, é notório o que aconteceu. Estou a constatar factos, não estou a pressionar ninguém. São faltas, obstruções.

As questões motivacionais dos jogadores vão ser uma preocupação até ao final da época?
O nosso grande objectivo é o campeonato e é nele que estão concentradas as nossas motivações. Quem está noutras competições também tem questões motivacionais.

Se conquistar o título, vai considerar que esta foi uma boa época?
Estamos concentrados no jogo com o Paços de Ferreira. Vencer é fundamental. No final, estaremos aqui para fazer o balanço da época.

Só conta com 19 jogadores disponíveis. Pensa que o plantel é curto?
Desde que não haja lesões e todos os jogadores estejam operacionais, o plantel chega e sobra para o que resta do campeonato.

O Fernando já está apto para o jogo de domingo?
Vamos ver. Espero que consiga recuperar porque é um jogador importante para nós.

Ainda pensa utilizar o Danilo esta época?
Espero que sim. Vamos ver se podemos contar com ele porque é um jogador de qualidade, mas isso é mais uma questão do departamento médico.
IN: Site oficial FC Porto

Feliz dia do Pai!

 

A equipa do Blog Dragões Azuis deseja a todos os pais portistas, um óptimo dia! PAI HÁ SÓ UM.

Golos caídos do céu

 
No Sítio da Choupana, localidade onde se encontra o estádio do Nacional e onde por vezes o nevoeiro é de cortar à faca, muitas equipas poderosas caem. Esta sexta-feira, o FC Porto teve de sofrer para bater os madeirenses, por 2-0, com golos de Janko e Alex Sandro, ao cair do pano.

Numa partida em que os Dragões apelaram mais à alma do que à técnica, garantiu-se o mais importante: os três pontos e a liderança da Liga. Alguém esperaria vencer na Madeira sem sofrimento? A luta pelo título continua em Paços de Ferreira (domingo, 25/03, 20h15), na Mata Real, outro terreno complicado. Provavelmente, será novamente necessário um jogo de esforço e períodos de menor beleza estética. Porém, o que mais interessa é chegar ao fim na frente: esta missão está cumprida, venha a próxima. Faltam sete "finais".

Nos primeiros 15 minutos o FC Porto passou por algumas dificuldades frente ao Nacional, que tem na frente jogadores rápidos como Candeias e Mateus. Os Dragões não podiam dar espaços nas costas da sua defesa e não "pegaram" desde logo no jogo. Mas, em cima do quarto de hora, Otamendi deu o primeiro sinal de perigo, na sequência de um livre. Moreno aliviou em cima da linha de golo e este lance marcou um novo período do encontro, com clara ascendência azul e branca.

Um remate perigoso de Lucho, aos 19 minutos, antecipou o tento de Janko, dois minutos depois. O austríaco beneficiou de um corte infeliz de Neto, que bateu em Alvaro Pereira e ficou ao seu alcance. Mas, como diz uma recente campanha publicitária, "a sorte é uma atitude" e há que ressalvar que a postura azul e branca era bastante pró-activa. Para quem disser que este golo surgiu apenas da sorte, sublinhem-se dois "pormaiores": a pressão de Alvaro e o sentido de oportunidade e atenção de Janko.

A exibição do FC Porto na primeira parte foi em crescendo, se bem que haja que destacar um par de intervenções atentas de Helton. Aos 34 minutos, Rolando esteve perto do segundo tento, mas, em posição privilegiada, o remate acrobático saiu por cima da barra. Seis minutos depois, Rodríguez conseguiu isolar-se mas o pontapé cruzado saiu ao lado.

No arranque do segundo tempo, os Dragões mantiveram a tomada dominadora e tiveram duas oportunidades para alargar a vantagem nos primeiros dois minutos. A primeira foi protagonizada por James e a segunda por Janko, que, isolado, não conseguiu evitar a "mancha" de Vladan.

Num encontro que teve vários períodos distintos, o Nacional cresceu na segunda metade da segunda parte e voltou a criar dificuldades ao FC Porto. O duelo entre Helton e Mateus foi particularmente evidente, com o guarda-redes a efectuar três intervenções apertadas, aos 68, 80 e 90 minutos, ou seja, já em cima do apito final. Porém, a melhor oportunidade de golo neste período até foi portista: na sequência de um livre de James, aos 86, Rolando e Maicon cabecearam consecutivamente ao poste.

Quando o Nacional já estava completamente balanceado para a frente, desesperadamente em busca do empate, os azuis e brancos puseram ponto final na partida. O contra-ataque iniciado por Moutinho e concluído em primeira instância por James, acabou na baliza do Nacional graças a uma finalização com classe do suplente Alex Sandro. O brasileiro chegou primeiro ao ressalto proporcionado pela defesa incompleta de Vladan e "picou-lhe" a bola. Foi o primeiro golo do lateral esquerdo com a camisola do FC Porto.

FICHA DE JOGO

Nacional-FC Porto, 0-2
Liga portuguesa 2011/12, 23.ª jornada
16 de Março de 2012
Estádio da Madeira, no Funchal

Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco)
Assistentes: José Cardinal e Luís Marcelino
Quarto árbitro: Fernando Lopes

NACIONAL: Vladan; João Aurélio, Danielson (cap.), Neto e Marçal; Moreno, Pecnik e Diego Barcellos; Candeias, Rondón e Mateus
Substituições: Pecnik por Mihelic (50m), Diego Barcellos por Keita (81m) e Marçal por Stojanovic (89m)
Não utilizados: Igor, Juliano, Márcio Madeira e Elizeu
Treinador: Pedro Caixinha

FC PORTO: Helton; Maicon, Rolando (cap.), Otamendi e Alvaro; Defour, João Moutinho e Lucho; James, Janko e Cristian Rodríguez
Substituições: Otamendi por Mangala (78m), Cristian Rodríguez por Alex Sandro (78m) e Lucho por Kléber (88m)
Não utilizados: Bracali, Sapunaru, Iturbe e Mikel
Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Janko (21m) e Alex Sandro (90m+4)
Cartões amarelos: Maicon (25m), Marçal (42m), Otamendi (48m), Diego Barcellos (60m), Mihelic (65m), Alvaro (73m) e Alex Sandro (78m)

Presidente da Liga mente

 
O Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, em entrevista na noite de quarta-feira à SIC Notícias, disse o seguinte:

"Devia ser proibido que o detentor dos direitos televisivos tenha percentagens em clubes de futebol, como acontece com o FC Porto e com a SAD, e depois nomeie membros para o Conselho de Administração. Pode haver a ideia, que eu penso na realidade que pode estar a acontecer, esses clubes serem beneficiados quando se trata da divisão desse bolo".

1. O presidente da Liga mentiu quando disse que o detentor dos direitos de transmissão televisiva nomeava administradores do FC Porto. É mentira, seja directa, seja indirectamente, nenhum administrador na história do FC Porto e do Grupo FC Porto foi nomeado por qualquer empresa ligada, directa ou indirectamente, a este sector de actividade.

2. O presidente da Liga sabe-o bem, como sabe que os direitos televisivos são negociados individualmente, o que torna especialmente grave mais este conjunto de mentiras, culminadas com a insinuação de que o FC Porto possa beneficiar depois da falsidade que inventou.

3. O presidente da Liga, tem a obrigação de defender os clubes, todos os clubes, sem distinção. Pessoalmente, depois, pode ter as simpatias e os humores que muito bem lhe aprouverem. O que não pode é insultar e denegrir o bom nome do FC Porto. Exige-se a quem ocupa a presidência da Liga uma atitude institucional respeitadora de todos os sócios, o que manifestamente não é o caso com o actual presidente.
Fonte: Site Oficial FC Porto

Um Presidente errático

 
A Assembleia Geral do Liga Portuguesa de Futebol Profissional que decorreu ontem na cidade do Porto foi um dos espectáculos mais deprimentes dos últimos anos no futebol português. Mudar as regras a meio do jogo, decidindo um alargamento sem a mínima sustentabilidade, anulando as normais despromoções, que são um garante da integridade e estabilidade de uma competição desportiva, foram a cereja no topo de um bolo de imbecilidade.

Esta triste história vem na sequência da trajectória errática do presidente Mário Figueiredo, que de manhã diz uma coisa e à tarde faz outra. Todos nos lembramos de ter publicamente afirmado que não concebia um campeonato sem despromoções, mas ontem já o desdisse sem qualquer pudor.

O presidente da Liga não defende o futebol português, defende-se sim a si próprio e ao lugar a que chegou à custa de promessas que prejudicam as competições e todos os clubes, mesmo aqueles que circunstancialmente pensam poder beneficiar no imediato da inconstância do presidente.

O FC Porto defende para esta recta final do campeonato a normalidade competitiva e espera que urgentemente a Federação Portuguesa de Futebol impeça que um pequeno e pouco representativo grupo de aventureiros destrua uma das actividades de que o nosso país mais se pode orgulhar e em que o FC Porto tem desempenhado um papel ímpar.

Perante os atropelos às normas estatutárias e regulamentares ocorridas durante a Assembleia Geral de segunda-feira o FC Porto não pode deixar de exigir a reposição da regularidade através do competente recurso para o Conselho de Justiça da FPF.

De Pena a Marc Janko

O FC Porto na última década teve em muitos dos seus plantéis jogadores que garantiam golos à equipa, de seguida ficam os últimos avançados que passaram pelos Dragões, uns com bastante sucesso e outros que se revelaram um autêntico flop.

Pena, jogador que os azuis e brancos foram buscar ao Palmeiras conseguiu ser o melhor marcador da época 2000/2001, ao apontar 22 golos no Campeonato. Na época a seguir o brasileiro apenas marcou 6 golos, tendo sido cedido ao Strasbourg, Marítimo e Braga.

Benny McCarthy chegou aos Dragões na época de 2001/2002 onde jogou apenas na 2ª metade da época. O sul-africano rapidamente conquistou os adeptos portistas, tendo marcado 12 golos em 11 jogos. McCarthy regressou na época de 2002/2003 ao Celta de Vigo mas em 2003/2004 rumou a definitivo para o Futebol Clube do Porto, sendo o melhor marcador do Campeonato com 20 golos e uma figura importante na caminhada dos Dragões rumo à conquista da Liga dos Campeões. As épocas seguintes ficaram marcadas pela sua vontade de sair que acabaria por ser concretizada na época de 2006/2007, com a sua ida para o Blackburn Rovers.

Hélder Postiga começou nos Juniores C do Porto em 1996/97, tendo chegado ao plantel principal em 2000/01. Nunca foi um jogador que enchesse as medidas aos adeptos portistas, Postiga teve a sua melhor fase da carreira enquanto treinado por José Mourinho, ficando na memória de todos nós aquele golo no Estádio das Antas, frente à Lazio. Na meia-final o português levou amarelo que o afastou da final de Sevilha. Em 2004/2005 rumou ao Tottenham por cerca de 9M€ mas revelou-se um autêntico flop, regressando novamente ao clube que o formou. Longe dos tempos de Mourinho, Postiga acabou por ser cedido várias vezes por empréstimo, em que foi vendido a definitivo ao Sporting.


Derlei ou "Ninja" como era conhecido, veio para o FC Porto na época de 2002/2003, um dos muitos jogadores que foi buscado ao União de Leiria, equipa que Mourinho treinava antes de vir para o comando técnico portista. O brasileiro fica directamente ligado à conquista da primeira Taça Uefa da nossa história, tendo sido o autor de dois dos três golos da final frente ao Celtic. No ano seguinte também foi uma figura importante para o sucesso azul e branco internamente como também na Liga dos Campeões, embora uma lesão nos ligamentos lhe tenha tirado o fulgor de outros tempos. No ano pós-Mourinho, o Ninja foi vendido ao Dinamo de Moscovo por 7M€.

Jankauskas veio do Benfica para o FC Porto e como suplente, foi um jogador bastante importante para o plantel de Mourinho. Em 2002/2003, de todos os jogos que realizou, 20 foram com suplente utilizado, marcando 9 golos no Campeonato. No ano a seguir o seu desempenho foi bem mais modesto, registando apenas 2 tentos no Campeonato.

Hugo Almeida foi um ponta-de-lança que nunca foi muito feliz ao serviço dos Dragões, tendo um percurso bastante irregular como jogador portista, sendo cedido várias vezes a outros clubes, acabando por ser vendido por cerca de 5M€ ao Werder Bremen. Na imagem podem ver um dos momentos mais felizes da carreira de Hugo Almeida, um golaço do meio da rua de livre directo, no jogo frente ao Inter de Milão na Liga dos Campeões. Infelizmente para ele, o jogo foi à porta fechada...

Luís Fabiano ou "Fabuloso" como era conhecido no Brasil, veio para o plantel azul e branco rotulado de craque. Infelizmente o brasileiro chegou num ano que foi para esquecer, onde todos jogavam mal e que ficou marcado por termos tido 3 treinadores numa só época. O número 9 apesar de tudo ganhou a Taça Intercontinental. Dos 23 jogos que fez, Fabiano só marcou 3 golos! Na época seguinte foi vendido ao Sevilha.

Bruno Moraes, o azarado. Prometia ser um jogador com bastante futuro mas as lesões não deixaram que pudesse ter tido sucesso na carreira. Enquanto jogador do FC Porto, o claro destaque vai para o golo já depois dos 90 frente ao Benfica, que valeu a vitória por 3-2 no Estádio do Dragão.

Tomo Sokota. Conhecem?

Adriano, uma das grandes figuras do Nacional da Madeira a quem o FC Porto foi buscar. Chegou na época de 2006/2007 e no seu primeiro ano registou 11 golos no Campeonato, ficando no terceiro lugar dos melhores marcadores desse ano. O brasileiro foi também quem marcou o primeiro golo que deu a vitória na SuperTaça Cândido de Oliveira. O FC Porto venceu por 3-0 o Vitória FC, na altura treinado por Rui Barros. Nas duas épocas seguinte Adriano perdeu o seu instinto matador, acabando por ir parar ao Braga.

Rentería. Esta foto até deixa saudades... mas do outro colombiano.

Ernesto Farías. O argentino sempre deixou a plateia do Dragão dividida. Enquanto uns não gostam dele, afirmando que pouco dava à equipa, outros defendiam a sua continuidade, afirmando que era um jogador que marcava golos. O que é certo, é que Farías sem dar muitos nas vistas lá foi marcando alguns golos. No primeiro ano registou 6 golos no Campeonato, no ano seguinte 10 golos e no seu terceiro ano 7 golos (contagem apenas de jogos no Campeonato).

Lisandro López teve um inicio bastante modesto de Dragão ao peito, onde no primeiro ano apenas registou 7 golos no Campeonato. Em 2006/2007 o seu desempenho pouco subiu, marcando apenas mais um golo do que no ano anterior. O argentino demonstrou o seu real valor no terceiro ano de azul e branco, ao apontar 24 golos em 27 jogos no Campeonato, dando uma média de 0.89 golos por jogo. No seu último ano antes de ingressar no Lyon, Licha apesar de ter marcado menos golos, foi uma figura importantíssima não só no TetraCampeonato como também na boa campanha dos Dragões na Champions, caíndo nos quartos-de-final diante do Manchester United. Lisandro foi vendido ao Lyon por 24M€, podendo chegar aos 30M€ conformo o seu rendimento desportivo no clube francês.

Radamel Falcao tinha a missão de fazer esquecer Lisandro Lopez. Ao colombiano só faltou mesmo a conquista do Campeonato para o seu percurso na Europa ser perfeito. El Tigre marcou 25 golos no Campeonato, ficando a apenas um dos 26 de Oscar Cardozo. Na Liga dos Campeões o seu desempenho também foi fantástico, ao apontar 4 golos. Embora tenha marcado menos golos no seu último ano (16 golos no Campeonato), Falcao teve um ano simplesmente fantástico. Conquistou tudo o que havia para ganhar (sem contar com a Taça da Liga) e na Liga Europa marcou nada mais nada menos do que 17 golos! Infelizmente Falcao decidiu voar para Madrid, onde tem continuado a demonstrar os seus dotes de goleador. Deixa saudades...

Walter custou cerca de 5M€ aos nossos cofres e infelizmente foi mais uma contratação redondamente falhada. Para além de não ser jogador para o nosso clube, trouxe bastantes problemas a nível pessoal que o fizeram ser um jogador pouco útil para André Villas-Boas e Vítor Pereira. De momento está emprestado ao Cruzeiro... pode ser que evolua alguma coisa. Sinceramente dúvido.

Tal como Falcao tinha a missão de fazer esquecer Lisandro Lopez, Kléber tinha e tem a missão de fazer esquecer Falcao. Pelo menos foi o que a SAD deu a entender, já que não foi buscar mais ninguém para a linha da frente. O FC Porto errou e começou a época com apenas dois jogadores para o centro do ataque. O brasileiro até deixou boas indicações na pré-temporada mas o que é certo é que tem estado bastante longe do que se exige. 6 golos marcados neste momento.

Marc Janko, a mais recente contratação para o ataque portista. Com características que não costumam ser habituais em jogadores do ataque dos Dragões (1.96m, 93kg), o austríaco veio em Janeiro para tentar colmatar um dos sectores mais carentes do nosso plantel, com a agravante que não poderia participar nas competições europeias, não tendo podido ajudar o FC Porto nos dois jogos frente ao Manchester City. Janko já fez 6 jogos com a camisola do Campeão Nacional (5 para o Campeonato e 1 para a Taça da Liga), tendo no seu registo 3 golos. Provavelmente é cedo para ter uma opinião formada acerca do jogador, mas parece-me que não é de todo jogador para o futuro, até porque já tem 28 anos.

45 minutos de avanço


O FC Porto voltou ao que tem vindo a ser habitual nesta época: dar 45 minutos de avanço ao adversário. Este jogo não foi excepção, uma primeira parte vergonhosa do Campeão Nacional, não registando qualquer remate de claro perigo à baliza dos estudantes, em que o primeiro remate à baliza da equipa forasteira surgiu a 6 minutos do intervalo. Muito pouco para uma equipa como a nossa, que entra para vencer em todos os jogos.

Vítor Pereira apenas fez uma mexida em relação ao 11 inicial da Luz, com a saída de Djalma para a entrada de James Rodriguez. Tal como no passado dia 2 de Março, o angolano acabou a partida a jogar a lateral-direito, onde é provavelmente o melhor na sua posição dentro dos disponíveis.

Na 2ª parte a postura azul e branca alterou-se, mas infelizmente a falta de acerto na finalização não fez com que o FC Porto conseguisse a vitória. Tivémos várias opurtunidades para sair do jogo com os 3 pontos, mas a bola não queria entrar. João Moutinho, tal como no salão de festas, voltou a mandar à barra na marcação de um livre. O golo do empate surgiu apenas no minuto 90, através de uma grande penalidade convertida por Hulk.

Aguardamos também pelos jornais de amanhã, nomeadamente o Jornal Pravda e o Lixord, que certamente não viram o penalty não marcado por falta sobre o Hulk. Aliás, o FC Porto foi duplamente penalizado neste lance, penalty não marcado e amarelo ao Hulk que o deixa de fora do próximo jogo. Com este resultado os Dragões deixaram a equipa minhota a apenas um ponto, onde amanhã os enc@rnados também podem encurtar a distância para também um ponto.

Sexta-Feira: Nacional vs FC Porto (19h00).

Ps: Rolando, põe-te no...

FICHA DE JOGO

FC Porto-Académica, 1-1
Liga portuguesa 2011/12, 22.ª jornada
10 de Março de 2012
Estádio do Dragão, no Porto
Assistência: 36.019 espectadores

Árbitro: Marco Ferreira (Madeira)
Assistentes: Sérgio Serrão e Nelson Moniz
Quarto árbitro: Luís Ferreira

FC PORTO: Helton; Sapunaru, Rolando, Maicon e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Lucho; Hulk (cap.), Janko e James
Substituições: Fernando por Defour (37m), Sapunaru por Djalma (53m) e Rolando por KKléber (61m)
Não utilizados: Bracali, Cristian Rodíguez, Alex Sandro e Otamendi
Treinador: Vítor Pereira

ACADÉMICA: Peiser; Cédric, Pape Sow, Reiner e Nivaldo; Diogo Melo, Adrien e David Simão; Saulo, Edinho e Diogo Valente
Substituições: David Simão por Danilo (65m), Diogo Valente por Magique (76m) e Saulo por João Dias (94m)
Não utilizados: Ricardo, Hugo Morais, Rui Miguel e Marinho
Treinador: Pedro Emanuel

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Edinho (39m) e Hulk (90m+2, pen.)
Cartões amarelos: Rolando (20m), Saulo (28m), Fernando (28m), Diogo Melo (51m), Hulk (56m), Pape Sow (60m e 90m), James (64m), Nivaldo (73m) e Alvaro (90m+7)
Cartões vermelhos: Pape Sow (90m)

FC Porto vs Académica Coimbra - 11 inicial

Vítor Pereira quer bater a Académica para manter o FC Porto rumo ao "objectivo fundamental da época, que é vencer o campeonato". Alheio a polémicas, o treinador do FC Porto diz que não interessa dizer quem é o melhor, mas "sê-lo de facto".

Que lhe parece a polémica sobre o clássico da última jornada?
Quem ganhou o último jogo foram os jogadores e ponto final.

Como encara a recepção à Académica, que eliminou o FC Porto da Taça de Portugal?
Este jogo por todos os motivos deve-nos lembrar o jogo da Taça de Portugal. Uma Académica bem organizada, com bons jogadores. Uma Académica que vem para fazer o seu jogo, para dificultar a nossa tarefa ao máximo, mas temos um FC Porto que está determinado, concentradíssimo no objectivo fundamental da época, que é vencer o campeonato. Será fundamental entrarmos fortes e mantermo-nos fortes e bem focados, em estado de alerta, com muita confiança e com a confiança dos nossos adeptos, vencer e somar os três pontos.

Sentiu a equipa mais tranquila esta semana, após recuperar o primeiro lugar?
A equipa trabalhou esta semana exactamente da mesma forma, acreditando no título, como acreditávamos antes. Conscientes das dificuldades, mas muito confiantes, sabendo que o jogo se prepara durante a semana, com um ritmo forte de treino.

Qual é a equipa que joga melhor futebol em Portugal?
Em minha opinião a equipa mais forte será aquela que no final ganhar o campeonato. Os campeonatos não se ganham nem no início, nem no meio. Conscientes de um campeonato muito competitivo, o que nós queremos não é dizer às pessoas que somos os melhores, mas sê-lo de facto, no fim, vencendo o campeonato. É esse o nosso objectivo. Essa questão para mim é para embalar. Não queremos ser embalados.

Maicon foi muito criticado e você também, afinal onde ele rende mais, a lateral ou a central?
O Maicon nunca foi tão falado. Continuo a responder da mesma forma, acredito no colectivo e acredito no talento individual e acredito em decisões tomadas em consciência, sempre para o melhor da equipa.

Não acha grave um treinador dizer que um árbitro assistente não assinalou porque não quis?
Não vou comentar. Excelente jogo, resolvido pelo talento dos jogadores, só isso. Não sou eu que tenho de avaliar a gravidade.

Desde Janeiro houve várias mudanças, chegaram Lucho e Janko, pôs um adjunto na bancada, Paulinho Santos integrou a equipa técnica, o FC Porto recuperou a liderança. Em dois meses mudou muita coisa...
As reestruturações que fizemos foram no sentido de nos tornarem mais fortes e julgo que foi isso que aconteceu. O Janko veio trazer, a par do Kléber, uma presença forte nas zonas de definição. O Lucho veio trazer liderança, tem qualidades intrínsecas de liderança. O Paulinho porque achamos que precisávamos de uma pessoa com o perfil e a personalidade do Paulinho no seio do grupo. O professor Quinta porque achámos que era importante ter uma visão num plano diferente. Achamos que funcionaria melhor se tivéssemos alguém num plano superior. Foram reestruturações no sentido de nos fortalecer.

Como é que viu afastamento de Villas-Boas?
O afastamento do André é o afastamento de um amigo, que me entristece, depois de uma pessoa muito competente. Já conversámos, mas nesta altura julgo que o André quer estar resguardado, tranquilo, para rapidamente voltar ao activo.
IN: Site oficial FC Porto